Como ter horas complementares com a Certificação por Competência?

A Certificação por Competência é um sistema de avaliação de profissionais no mercado de trabalho. Contudo, ela também é uma solução quando se pensa em como ter horas complementares para a faculdade. Portanto, tire suas dúvidas neste artigo.

Em primeiro lugar, a Certificação por Competência é uma metodologia de avaliação de trabalhadores. Ela surgiu com esse propósito na Lei Federal 9.394/96 (Lei de Diretrizes e Bases da Educação), em seu artigo 41. Posteriormente, o congresso atualizou a legislação por meio da Lei Federal 11.741/2008. Além disso, ela atende aos parâmetros do Parecer CNE/CEB 16/1999.

Nesse sentido, o processo é totalmente legal. Mas como o universitário pode usá-lo na complementação de horas extras curriculares na sua graduação? Confira os detalhes a seguir.

Como funciona o uso do certificado por competência?

Em sua essência, o certificado por competência serve para atestar que você tem experiência em determinada área. Esse tempo dedicado a um determinado tema pode ser confirmado pela certificação.

Exemplo: se você faz faculdade de Nutrição e trabalhou como voluntário na Pastoral da Criança fazendo suplementos para as crianças e gestantes ou acompanhando a nutrição das famílias atendidas, você pode usar essa experiência como horas complementares.

Para comprovar, você pode usar algum documento que confirme o trabalho voluntário ou fazer uma carta de próprio cunho afirmando que a sua experiência nesta área é verdadeira. Isso é usado para a emissão do certificado.

Nesse sentido, o número de horas que vão para o certificado varia conforme os meses ou anos de dedicação ao trabalho voluntário ou qualquer outra ação que você tenha realizado.

Para que servem as horas complementares?

Tecnicamente, as horas complementares têm a denominação de atividades complementares. O próprio MEC (Ministério da Educação) utiliza essa denominação. Inclusive há um decreto de 2003 da Câmara de Educação Superior que determina as atividades complementares nos cursos de graduação para que seja possível colar grau.

Essas horas complementares devem representar 20% da carga horária total do curso. Portanto, elas variam de faculdade para faculdade. Cursos de Medicina, por exemplo, que são mais longos, exigem mais atividades complementares.

Mas como ter horas complementares? Veja as principais formas:

  • participação em seminários;
  • palestras;
  • congressos;
  • semanas acadêmicas;
  • atividades culturais;
  • projetos de extensão;
  • projetos de iniciação científica;
  • Certificação por Competência.

E só para complementar, o certificado por competência tem a missão de qualificar a mão de obra. Trabalhadores brasileiros que têm muitos anos de experiência na profissão, mas que porventura não tenham estudado, conseguem tirar o certificado por competência.

Porém, é preciso comprovar experiência mínima de dois anos trabalhados em carteira ou contrato de prestação de serviços. Basicamente, a Certificação por Competência é positiva para a empresa e para o trabalhador. Assim, ele pode continuar os estudos com um estímulo a mais.

Em resumo, a Certificação por Competência é polivalente. Ela pode ser usada por trabalhadores que querem crescer em sua profissão e por estudantes de graduação que desejam complementar as horas para colar grau e obter seu diploma.

Agora que você já sabe como ter horas complementares através da Certificação por Competência, dê uma olhada na página inicial do site do Instituto Brasileiro de Qualificação Profissional (IBQP) e converse com nosso atendimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *